Será que é cólica?


Lembro de ver minha prima chorar muito de cólica, quando bebê. Chorar noites inteiras, mesmo. Era uma das coisas que eu mais temia que acontecesse, com meu bebê. Afinal, tem coisa mais aflitiva do que ver uma criancinha tão pequena chorando de dor?

Há algumas dias atrás, Bernardo acordou chorando de madrugada, pela primeira vez. Um choro diferente do “chorinho de mamá”. Fralda? Também não. Aí tive a ideia de virá-lo de barriguinha para baixo, e não deu outra: parou de chorar na hora.

O caso é que ainda não sabemos exatamente o que ele tem, por culpa da nossa própria inexperiência. Me acostumei a ver/ouvir que um bebê com cólica chorar por horas e horas (era assim com a minha prima, Alice), e esse não foi o caso do Bernardo, que chorou só por alguns minutos. Na verdade, o que desconfiamos mais é que ele esteja com prisão de ventre. Junto com o choro que acreditamos ser de cólica, ele faz muito força e fica vermelho – tipo, de dar dó, mesmo. E, nas duas ou três vezes em que aconteceu, ele já estava há algum tempo sem fazer cocô.

Dá muita aflição, quando acontece. Fico imaginando o quão desesperador deve ser para os pais, no caso de bebês que choram a noite inteira.

Na primeira quinzena de janeiro ele já tem consulta com a pediatra, e pretendo perguntar o que fazer se ele tiver cólica, entre outras dúvidas. Até lá, como ainda não temos nenhum remédio liberado, o que nos resta é testar alívios alternativos. No caso dele, a massagem na barriga e os movimentos de bicicleta com as perninhas não surtem muito efeito – o que ele gosta mais é de ficar de barriguinha para baixo, mesmo. Vale testar outras técnicas (O “Tratando a cólica do seu bebê” tem ótimas dicas) e se munir de muita paciência, carinho e amor, nesses momentos difíceis. Muitas vezes, um simples aconchego no seu colo já vai ajudar o seu bebê a passar por isso.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *