Bebê com intestino saudável


bebe com intestino saudavel - Bebê com intestino saudável
Imagem do Google

Bernardo recentemente passou pela fase de não fazer cocô. Xixi ele sempre fez que é uma beleza, são muitas fraldas molhadas. Mas, em relação a defecar, foram duas fases: até 1 mês e meio, cada mamada era um cocô.

Até que o menino simplesmente começou a diminuir a frequência, até simplesmente parar e fazer somente de dois em dois dias, em bastante quantidade. Ele chegou a ficar 5 dias sem fazer cocô, o que me deixou bastante preocupada, apesar de teoricamente ser normal, na idade em que ele está.

Mas, aparentemente, tudo está voltando ao normal. Após dois dias sem fazer, ele fez muuuito (tipo, muito mesmo, estávamos tentando fazer a troca e ele não parava), e fez novamente no dia seguinte, em uma quantidade mais normal. Até o fechamento dessa postagem, as coisas pareciam estar entrando nos eixos, com 1 cocô diário.

Bom, o caso é que a preocupação me fez pesquisar bastante nesses “dias sem cocô”, para saber quando devemos começar a nos preocupar, em relação ao intestino da criança. E aparentemente, a cor das fezes é o que mais importa. Também olhei na própria Caderneta de Saúde da Criança fornecida pelo Ministério da Saúde, e ela explica através de uma tabela de cores como são as fezes normais. Basicamente, fezes normais tem cores mais vivas, e as esbranquiçadas geralmente indicam algum problema.

Segundo o pediatra e membro da Sociedade Brasileira de Imunizações e da Sociedade Brasileira de Pediatria Jairo Len, “problemas intestinais são comuns em crianças, e uma das principais queixas dos pais”. Em bebês novinhos, o intestino ainda está em transição, e é preciso ter paciência.

As fezes geralmente são pastosas e de um amarelo vivo (bebês que tomam fórmula podem ter fezes um pouco mais escuras), mas um cocô mais duro também é normal. O que não pode é haver sangue nas fezes.

No caso de crianças maiores, a partir de 2 anos pode acontecer o temido intestino preso, e então é necessário prestar atenção à dieta da criança.

Há alimentos que prendem e alimentos que soltam o intestino, mas o ideal é consumir frutas com fibras, pois são as fibras que ajudam a manter o equilibrio intestinal. Também é preciso prestar atenção aos extremos. O médico explica que não é normal, por exemplo, defecar seis vezes ao dia, assim como não é normal defecar somente de quatro em quatro dias.

Caso seu filho tenha problemas intestinais, procure anotar tudo para mostrar ao pediatra: de quanto em quanto tempo faz, consistência e cor das fezes, o que costuma comer… Peça ajuda pediátrica o quanto antes, pois a criança que sente dor, por exemplo, pode passar a sentir medo de ir ao banheiro e segurar o máximo que puder, causando um ciclo vicioso.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *