As malas da maternidade – parte 2


as malas da maternidade 1 - As malas da maternidade – parte 2

Na última postagem, contei o que usei e o que não usei da minha mala de maternidade. Hoje, vou falar um pouco sobre a mala do meu bebê.

-Roupinhas: Escolher as roupinhas pra levar foi a parte mais difícil. Não comprei quase nada de roupas, a maioria das roupinhas dele foram presente, e bem poucas eram pequeninas. O Bernardo nasceu pequeno, com 47,5 cm e 2.950kg – um pequeno perfeitamente normal e saudável, mas ainda assim pequeno. Além de tudo era meu primeiro filho, e eu olhava as roupinhas sem fazer ideia se serviriam nele.

Acabei levando de tudo um pouco, as menores que tinha, e uns dois macacões maiores, caso fossemos surpreendidos por um bebezão. Ele nasceu em dezembro, começando o calor, e graças a Deus não tivemos problema com a temperatura. Ele não usou boa parte do que levei. Quando nasceu, usou um body mais um macacão comprido por cima, e obviamente as meias. Ficamos dois dias no hospital, ele trocou de roupa umas duas vezes, mais a troca para sair da maternidade, quando coloquei um macacão mais bonitinho, de plush e com pezinho.

Se você vai ficar em um hospital onde seja fácil buscar mais roupinhas caso precise, não precisa exagerar na quantidade; caso fique longe, se previna, pois além de o risco de as roupas não servirem (as ultrassons são precisas, mas não infalíveis), pode haver escapes de urina ou fezes, ou até mesmo uma sujada na hora da troca.

-Meias e luvinhas: As meias são indispensáveis, leve uns três pares, paro o caso de sujar alguma. As luvinhas de recém nascido são bem necessárias, pois eles nascem com unhas compridas e completamente sem coordenação do que fazem com os braços e mãos, então eles arranham muito o rosto. Mas caso não encontre as luvinhas, nada de estresse. Meias finas colocadas nas mãozinhas resolvem o problema.

-Sapatinhos: Não precisa. Sério! Um bebê não tem a menor necessidade de usar sapatos enquanto não estiver andando. O Bernardo tem alguns pares que ele ganhou, e só coloco quando vamos sair ou tirar as fotos mês-a-mês, e só para ficar mais bonitinho. Se quiser que ele saia da maternidade de sapatinho, leve 1, mas realmente não precisa.

Saída-maternidade: se for um sonho, compre. Se seu bebê ganhar de alguém, use. Se não for nenhum desses dois casos, o gasto não vale a pena. As saídas-maternidade em geral são bem caras e pequenas, feitas para serem usadas só uma vez, mesmo. Vale mais a pena escolher uma roupinha bem bonita, mas que seu bebê vá utilizar mais vezes.

-Fraldas RN: Leve no mínimo 1 pacote inteiro, e esteja preparada para comprar mais 1, caso precise. Algumas maternidades dão as fraldas caso precise, mas, mais uma vez: EVITE DEPENDER DE KITS MATERNIDADE. Como ficamos apenas dois dias, o pacote com 20 fraldas RN que levei deu e sobrou, mas não marque bobeira. Nas primeiras semanas o bebê costuma “descarregar” após cada mamada, então a demanda de fraldas é grande.

-Lenços umedecidos: há pediatras que contraindicam o uso de lenços umedecidos em recém-nascidos devido ao risco de alergia. Eu não fazia a menor ideia disso antes de o Bernardo nascer, e acabei levando e usando um lencinho fino e bem simples. Talvez pelo fato de ele ser suave o Bernardo não teve alergia alguma, mas algo que eu não sabia era que as fezes do recém nascido são escuras e pegajosas feito piche, bem difíceis de limpar. Se informe sobre a política da maternidade, e procure levar lencinhos eficientes, mas não muito fortes. O da marca Huggies é excelente, é grosso (dá pra fazer a limpeza toda com um lenço só) e sem cheiro forte.

-Pomada anti-assaduras/talco: o talco é polêmico, contraindicado pela maioria dos pediatras devido às micropartículas poderem causar asfixia no bebê. O Bernardo ganhou dois no chá de bebê, mas não levei na mala da maternidade e atualamente os uso para prevenir assaduras nas “dobrinhas”, tomando o cuidado de cobrir o rosto dele com uma fraldinha de pano, durante o uso.

O talco em teoria sai mais barato que a pomada, devido à durabilidade, e só por isso eu os uso nas dobrinhas. Para a higiene íntima durante as trocas de fralda, prefira sempre a pomada, que é muito mais eficiente e segura. Na mala da maternidade, levei uma da Pompom, mas a Babymed, por exemplo, é uma marca baratinha (a bisnaga de 45g custa em torno de R$ 10,00, em algumas regiões um pouco mais e em outras, um pouco menos) e excelente.

-Chupeta e mamadeira: pensei em levar a mamadeira, mas felizmente não levei, pois ela só ocuparia espaço na malinha. A chupeta eu levei, e sequer tirei da malinha. A maternidade recomenda que os bebês não peguem nenhum outro bico além do peito, para não correr o risco de rejeição do mesmo.

-Shampoo e sabonete: Levei por via das dúvidas, e não foi usado. O Bernardo tomou banho apenas com as enfermeiras, no berçário, e não nos foi pedido nada. Mais uma vez, procure se informar com antecedência sobre os costumes da maternidade e, se puder, leve para não correr o risco de ficar sem.

-Colônia para bebês: Ganhei duas no chá de bebê e não pus na malinha, mas no dia seguinte meu marido levou XD. É preciso tomar muito cuidado com as alergias, pois a pele do bebê é muito sensível. A colônia não é necessária, mas caso faça questão, coloque apenas na roupa do bebê, nunca diretamente na pele.

-Toalha de banho/cobertor: coloquei esses itens juntos porque, no meu caso, um item cobriu o outro. Coloquei na malinha uma toalha de banho que não foi usada para esse fim. Cobertor eu não levei por falta de espaço e por achar que não precisaria, mas a maternidade pediu algo para forrar o bercinho, antes de colocar o bebê. Me deixaram usar a toalha sem problemas XD.

-Cueiro/manta: como o Bernardo nasceu em dezembro, nem cheguei a comprar mantas de lã para ele. Comprei três cueiros e, mesmo achando que não precisaria, coloquei 1 na mala por via das dúvidas. Felizmente fiz isso pois, quando ele nasceu, foi pedido pela enfermeira junto com as primeiras roupinhas, e ele foi levado até mim no quarto enroladinho no cueiro. Portando, leve ao menos 1.

-Kit cuidados pessoais (cortador de unhas, tesoura, escovinha de cabelo, lacinhos, etc): sinceramente, não me lembro se levei esses. As unhas são superfininhas quando o bebê nasce, e o mais seguro é esperar que fortaleçam alguns dias, antes de cortar. Quanto às coisinhas de cabelo, você pode levar, caso o bebê nasça com bastante cabelo e você queira penteá-lo e enfeitá-lo XD. Indispensável, não é.
-Brinquedos: o bebê não sabe sequer controlar as próprias mãozinhas, que dirá brincar XD. Não leve, só vai ocupar espaço na bolsa.

Leia também: As malas da Maternidade – Parte 1


One Reply to “As malas da maternidade – parte 2”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *